HOME
APRESENTAÇÃO
CORPO CLÍNICO
ATIVIDADES
INFERTILIDADE
GINECOLOGIA
OBSTETRÍCIA
PSICOLOGIA
CIRURGIA
PESQUISA
PARCEIROS
CONTATO
LOCALIZAÇÃO
LINKS
FAQ

Saúde Feminina
Útero Virado
    

O útero da mulher adulta encontra-se habitualmente voltado para a região anterior do corpo, fletido sobre a bexiga, antevertido,antefletido. Mas uma percentagem de mulheres que pode variar entre 15 a 25% tem ele voltado para a região posterior do corpo, retrovertido, retroversoflexão sem que essa posição seja anormal. A grande maioria dessas mulheres não apresentam sintomas e a descoberta é ocasional no exame ginecológico.

Antigamente havia uma crença de que a mulher com útero nesta posição não conseguiria engravidar levando um grande número de mulheres a cirurgias desnecessárias na tentativa de fixar o útero na posição anterior.

Popularmente, o útero retrovertido, é conhecido como útero virado. Não requer tratamentos ou cirurgias.

Mas em alguns casos a retroversoflexão poderá se manifestar de forma patológica decorrente de fatores tais como, congestão pélvica vascular por compressão dos vasos sanguíneos do útero, maior suscetibilidade a focos de endometriose , aprisionamento ou encarceramento do útero na pequena pelve no primeiro trimestre de gravidez.

Sintomas mais comuns :

-         dor crônica pélvica ou lombo-sacra ( “dor nas cadeiras” )

-         dispareunia profunda – dor que surge no ato sexual referida a pelve, mas que freqüentemente permanece por horas após a relação

-         dismenorréia – cólicas de menstruação intensas

-         proctalgia – dor a evacuação

-         disúria – dor ao urinar

-         e mais raramente , decorrentes do encarceramento do útero na pequena pelve. 

Sabe-se atualmente que a correlação do útero retrovertido com a dificuldade de engravidar é devida a maior suscetibilidade de endometriose nestas mulheres. O útero retrovertido dificultaria o escoamento da menstruação pelo orifício do colo e aumentaria o risco de refluir pelas trompas uterinas levando a implantação de focos do endométrio na cavidade abdominal ( menstruação retrógada ).

Eliane Amábile do Amaral

Médica Ginecologista - CRM 12909

Pós-graduação em Sexologia Clínica

 

 
 http:/www.isaia.com.br